Beijo.

Tudo fez prever aquele momento.

As mensagens anteriormente trocadas. A cumplicidade. O erotismo no seu conteúdo. A provocação sempre presente.
Deixei de sentir o chão que pisava, para flutuar e alcançar apenas as sensações que já não sentia há algum tempo. Senti a comunhão entre um sentimento verdadeiro e o desejo puro. Ultimamente, ou era um, ou era outro. Nunca os dois em simultâneo. Senti que o meu corpo me abandonava, quando sem avisar deixaste-me suspensa no momento.
Senti-o Arrebatador. Intenso. Delicioso. Devorador de Almas. Violento. Por mais que tente nenhuma palavra sozinha é suficiente para o descrever completamente. Nada faria prever que este reencontro, mesmo no meio da rua se ia desenrolar desta forma. Eu sabia que tu o desejavas e que o desejo era recíproco. Assim como sabia que tu também estavas ciente do poder que exercias em mim.

Olhaste mais uma vez para mim. Partiste sem proferir palavra.

Mensageira
www.memoriasecretas.blogs.sapo.pt

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *