Como regressar à “TERRA” num país de “DOUTORES”?

Num país em que a maioria da população vive “entroikada”, torna-se cada vez mais, eminente o regresso deste povo à terra e ao mar.

Durante anos foi transmitida a necessidade de  uma educação num nível mais elevado.

No entanto, foram criadas somente infra-estruturas de betão, longas estradas, campos de futebol, piscinas, marinas e a dívida do pais continuou a crescer.

A população apesar da formação superior que recebeu não foi informada, da queda livre em que o seu país estava, e neste momento ao invés de pessoas instruídas e lutadoras, temos um país a saltar do navio, à procura de abrigo noutros países.

O país que outrora se dizia ficar envelhecido em vinte anos, está a ficar decadente de dia para dia. Todos os dias são criadas novas medidas para roubar o povo, medidas que tornam as pessoas em fugitivas do seu próprio país, medidas que incentivam o abandono e a desistência.

Contudo neste sentido, a fim de reverter esta situação, seria necessária uma união, uma força maior, que mantivesse as pessoas todas juntas, seria necessário que o crescimento intelectual  adquirido por estes indivíduos fosse canalizado para a terra e para o mar, recursos naturais deste pais, seria necessário que se perdesse a vergonha de sujar as mãos, de trabalhar de sol a sol. Seria necessário que se desse asas à imaginação, e a oportunidade à juventude de salvar o futuro que lhes pertence.

Pois apesar de em poucos anos as infra-estruturas de um país ser totalmente renovado, a mentalidade do seu povo, alma verdadeira do país pouco é modificada.

Bell Lucas