Vamos falar de dietas

Quase todas nós, em alguma altura da nossa vida, desejámos perder uns quilinhos de forma rápida. As razões são sempre boas: caber dentro daquele vestido deslumbrante, tamanho XS, estar na nossa melhor forma naquela ocasião especial ou vestir um biquíni fantástico que assenta que nem uma luva no manequim (com medidas irreais!). O pior vem depois, com a recuperação de todo o peso perdido e, muitas vezes, com mais uns quilinhos de bónus.

A razão destas dietas relâmpago não funcionarem é simples: são desequilibradas, monótonas e, frequentemente, não fazem qualquer sentido.

Existem dietas para todos os gostos, desde as que proíbem o consumo de todos os alimentos de determinado grupo, às que incentivam a ingestão de um único alimento, durante um determinado período de tempo. Na realidade a perda de peso acontece, mas não é sustentada, porque não se pode eliminar definitivamente da alimentação todo um grupo alimentar ou passar o resto da vida a comer ananás ou pêssego em calda. Tudo isto leva a que este tipo de regime seja rapidamente abandonado.

Há também quem recorra à toma de fármacos para alcançar o peso desejado, nomeadamente diuréticos e laxantes.

Os diuréticos promovem a perca de peso através da eliminação de líquidos, acompanhada por perdas minerais, sobretudo sódio e potássio, o que, juntamente com uma dieta restritiva, pode comprometer as necessidades minerais apresentadas pelo organismo. A perda de peso decorrente do uso de diuréticos é alcançada pela perda de água e esse peso é rapidamente recuperado após a posterior ingestão de líquidos.

Os laxantes, por sua vez, forçam excessivamente o normal funcionamento do intestino, provocando a sua irritação, e promovem a perda de peso acelerando a saída dos alimentos, pondo em causa a correta absorção dos nutrientes.

As dietas loucas, o uso de medicação e outras formas de perder peso rapidamente, para além de muitas vezes trazerem consequências nefastas à saúde, não são eficazes na manutenção do peso desejado, porque não promovem a alteração definitiva dos hábitos alimentares. Com a adoção de uma dieta equilibrada e adequada às necessidades, acompanhada pela prática de exercício físico, a perda de peso é progressiva e sustentada. Com o passar do tempo adquirem-se hábitos alimentares saudáveis que se mantêm ao longo da vida, melhorando a silhueta e a saúde.

 

Nélia Sofia Costa