Má Sorte!!

Madrasta. Já alguém pensou a sério no papel de uma madrasta? Só o nome me parece medonho e injusto…madrasta significa má sorte.

Será má sorte para muitas crianças terem pessoas que as amam e tratam como se fossem filhos? Será má sorte muitas destas mulheres darem às crianças aquilo que muitas mãe não se dão ao trabalho de dar?

Ninguém substitui ninguém e Mãe e Mãe e só há uma. Mas será Mãe quem cuida, ama, se sacrifica ou quem concebeu? Idealmente será a mesma pessoa e felizmente que a grande maioria das mães sabe bem o que é ser mãe. Mas na verdade, também existem muitas que cometem atrocidades para com os seus filhos de forma voluntária e consciente. Serão Mães?

Uma criança que é adoptada…não é nos pais adoptivos que encontra, fora certas excepções, amor, cuidado e dedicação? Então o porquê deste título de madrasta para muitas mulheres que se dedicam como Mães?

Verdade seja dita, não são todas que assumem seriamente este papel, mas também existem aquelas que se dedicam aos enteados como se fossem filhos e acima de tudo que os sentem como tal. Quem fala de madrastas fala de padrastos, pessoas que amam e se dedicam independentemente de a criança que cuidam ser ou não do seu sangue.

E aqui ficam duas questões…numa separação, que direitos têm estes “pais e mães” emprestados e dedicados muitas vezes durante anos???

Como ficam as crianças perante uma segunda separação de pessoas que amam??

 

1 Comment

  1. Para além do nome, os direitos. No meu caso chamavam-me mãe do coração, após o divórcio é raro ver e preciso insistir com o pai para que tal aconteça. E onde ficam os sentimentos da criança e da mãe do coração que a criou durante oito anos?
    Seja feliz, a vossa é a postura correcta, mas também a mais difícil.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *