Ser Mulher

“Não é fácil ser mulher. Todas as mulheres sabem disso. Não é fácil acima de tudo porque vivemos e sentimos tudo ao mínimo pormenor. Somos mais sensíveis… mais abnegadas.

Damos de nós pelos outros, principalmente quando esses outros fazem parte de nós. Não pensamos duas vezes antes de ajudar quem precisa. Temos sempre uma palavra de carinho, de compreensão e um conselho generoso. Mas nem sempre somos escutadas. Principalmente se formos mais novas que a pessoa a quem estamos a tentar ajudar.

Mas como mulheres temos também uma gigante capacidade de aprendizagem. Sofremos, deixamo-nos enganar, magoar… mas somos muito boas a ler as atitudes de quem nos magoou uma vez. Não nos deixar enganar segunda vez com facilidade.

As mulheres lutam… e lutam tanto que os homens se conseguissem entrar no nosso coração e na nossa mente ficaríam perdidos e frustrados. As mulheres conseguem tudo o possível e o impossível.

Conseguem carregar um ser no ventre durante 9 meses, conseguem sofrer fisicamente dando à luz mas sorrir ao mesmo tempo. Conseguem amar louca e perdidamente uma simples célula do seu corpo que se desenvolverá num filho.

Filho! A palavra mágica da mulher! Fazemos tudo por eles. Tudo! Viramos costas às coisas fúteis, às pessoas ainda mais fúteis e centramo-nos neles, deixamos de pensar na nossa dor e sofremos mais que eles. A mulher que é mãe vê a vida com outro olhar, com outra definição, com outra coragem.

Mulher que é mãe levanta as questões mais essenciais da vida. Pergunta-se se será capaz de educar um ser humano de forma correcta, mas logo de seguida respira fundo e com todo o seu amor sabe que conseguirá sim… porque a mulher\mãe consegue tudo!

Mas mulher é sempre mulher quer tenha filhos, quer não tenha.

Porque mulher é vida! É esperança! É garra! É meiguice e ao mesmo tempo firmeza!

Mulher é paixão! É fogo! É chama!

Mulher é carinho e amizade! É preocupação e respeito!

Mulher é saber estar e saber educar. É gentileza e princípios.

Mulher é luta! É batalha! É vitória!

Mulher é o ser que apesar de se sentir doente por dentro e por fora levanta-se da cama de manha cedo, prepara lanche do filho, pequeno almoço do filho, pequeno almoço do marido que também está doente… e saí para a rua. Deixa o filho na escola vai às compras para casa  arrastando-se cheia de dores até ao seu lar onde prepara depois um almoço para o marido que continua doente. Só depois de tudo arrumado respira fundo e se queixa para si mesma… Não se dando ao luxo de ceder. Só o faz quando o marido começa a recuperar… aí sim pode curar-se a si mesma!

A mulher é dura! Firme! E só se queixa quando está no limite! (e nem sempre se queixa)

Mulher só chora no limite! Quando a dor é como que insuportável. Mulher não gosta que a vejam chorar. Não gosta de mostrar que está desesperada.

Mas mulher desespera. Por sí e pelos outros…

Mulher gosta de ser abraçada, protegida, gosta de ouvir dizer que a amam, gosta de se sentir desejada, acarinhada e gosta acima de tudo que lhe dêem valor. Não gosta que a tratem como um objecto, como alguém que está ali só para ser Mulher!

Mulher é mulher… mas é muito mais que isso… Mulher é tudo aquilo que os homens não são!

Mulher sou eu, és tu! Mulher é a tua esposa e namorada, a tua mãe, a tua avó! Mulher é quem está ao teu lado…

Por isso e porque tudo muda de repente diz à tua mulher o quanto a amas!

Porque como Mulher sei que se sentirá gigantescamente feliz!”

Findas as minhas primeiras palavras, gostaria apenas de me apresentar oficialmente como Sara, uma colaboradora deste site.

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *