Sofrimento silencioso …

Ao longo dos anos as mulheres vêm sofrendo todo tipo de assédio e têm permanecido em silêncio diante do medo e da pressão provenientes da necessidade de manterem a renda e o sustento de sua família. A vergonha de contarem para seus parentes, incluindo o medo de sofrerem consequências mais graves devido às políticas deficitárias de protecção às mulheres, estas vêm silenciando e sendo vítimas do assédio, um problema antigo e ao mesmo tempo actual que geralmente ocorre em sigilo e, na maioria dos casos, deixam marcas principalmente psicológicas.

A troca de papéis na família vem transformando o ambiente laboral e transferindo uma carga notória de trabalho às mulheres. Sendo mães, donas de casa, esposas, filhas, irmãs, amigas e profissionais, elas vêm tentando conciliar todos esses papéis na contemporaneidade.

Entretanto, muitas mulheres sofrem preconceito e são torturadas moralmente devido à insegurança, ao abuso de poder, a acusações e a ofensas deferidas por pessoas da mesma organização, que tornam o ambiente de trabalho um campo de batalha, competitivo e com reconhecimento desigual para pessoas de gêneros diferentes que desempenham a mesma função.

Diante desses factores faz-se necessário reflectirmos sobre os tipos de assédio que as mulheres continuam sofrendo, denunciando tais ocorrências e consciencializando as principais vítimas para não assumirem uma postura passiva e contribuírem, indirectamente, para a perpetuação desses problemas…

Por: Paula Baptista