Vai uma chávena de energia?

( imagem retirada da internet)

Com tanta informação que corre por aí, muitas vezes surgem dúvidas pertinentes sobre o porquê de certas coisas. Isto acontece porque nem tudo é uma linha recta, ou seja, a grande maioria das vezes uma determinada substância ou comportamento adequa-se a algumas situações, outras não…

Por exemplo, o café:

É do conhecimento comum que o café pode ser prejudicial e está contra-indicado em situações de hipertensão ( tensão alta), no entanto um café contém na sua composição, para além da cafeína, minerais e anti-oxidantes, que podem ter um efeito benéfico na nossa saúde.

A cafeína é uma substância com propriedades estimulantes que pode causar dependência. Os seus efeitos dependem das características e da capacidade de absorção de cada pessoa. Em média, considera-se que a cafeína é absorvida num prazo de 3 horas e por isso não deve ser ingerida nas 3 horas que antecedem o periodo de sono. Para além de diminuir a sensação de fadiga e sonolência a cafeína aumenta a capacidade de processamento mental, aumenta a irrigação coronária e promove a vasodilatação estimulando também a secreção gástrica que ajuda à digestão. No entanto e por causar dependência ( ou seja, o organismo começa a necessitar de uma dose fixa para conseguir “funcionar” normalmente) deve ser consumida em quantidades moderadas. E que quantidade é a moderada? Neste momento consideram-se 200 a 300 mg de cafeína uma quantidade moderada, o que equivale a 2 ou 3 chávenas por dia.

Em quantidades superiores a cafeína torna-se prejudicial, os efeitos estimulantes passam a excitantes, trazendo irritabilidade, ansiedade, tremores, agitação e insónia. Se houver já dependência da cafeína, sempre que não se repuser a dose diária minima necessária, poderemos sentir cefaleia ( dor de cabeça) mau-estar e adinamia ( falta de ânimo). Os doentes cardiacos e hipertensos devem ter ainda mais cuidado nas doses diárias de cafeína, já que esta pode causar taquicardia ( aumento da quantidade de batimentos cardiacos por minuto), arritmias  e um aumento dos valores da tensão arterial.

Os minerais e compostos anti-oxidantes, sempre que o café é ingerido em doses correctas, exercem os seus efeitos positivos para a saúde e conseguem superar os efeitos negativos da cafeína, como é sabido estes têm comprovados efeitos anti-cancerígenos e regulam e controlam muitos dos nossos processos metabólicos ( por exemplo a eliminação de toxinas, muito importante na manutenção do bom funcionamento do organismo)

Para além de tudo isto o café tem, hoje em dia, um efeito promotor da socialização, ou seja, o café é sempre uma óptima desculpa para parar um pouco e conversar com amigos, o que se torna cada vez mais importante para o nosso bem-estar!

Boa tarde e bom café!

 

Maria