Já todos conhecemos a velha máxima Somos o que comemos, que também não deixa de ser verdadeira ao contrário, Comemos aquilo que somos! Para reforçar a importância de uma dieta completa e equilibrada chegaram boas notícias, de Baku, Azerbeijão esta Quarta-feira: A Dieta Mediterrânica foi aprovada em 2mn e por unanimidade como Património Imaterial da Humanidade pela UNESCO. A candidatura foi conduzida pela Câmara Municipal de Tavira e incluiu sete países: Portugal, Espanha, Chipre, Croácia, Grécia, Itália e Marrocos.

Mas afinal o que é a Dieta Mediterrânica? É natural que a resposta pronta seja a abundância de legumes e vegetais, o azeite como gordura principal, o pão, as massas e o arroz, os frutos e claro, refeições regadas com vinho, sem esquecer a importância do exercício físico. Apesar de tudo isto ser verdade não se fica por aqui: a Dieta Mediterrânica para além de promover os produtos de época promove também formas próprias de cultivo, de pesca e de cozinha.

É uma dieta comum aos povos da bacia do Mediterrâneo e a Portugal, que tem sido transmitida por várias gerações e pelo seu intercâmbio tem sofrido alterações e inovações. Por isso ela é dinâmica e um património cultural que tem como mote a sociabilidade, o convívio à mesa com a família e com os amigos. Se quisermos ir mais longe basta olharmos para a origem da palavra grega diaita que significa um estilo de vida equilibrado.

A Fundacíon Dieta Mediterránea aponta 10 recomendações a seguir de forma regular:

  1. Utilizar o azeite como principal gordura
  2. Consumir alimentos de origem vegetal em abundância: frutas, verduras, legumes, cogumelos e frutos secos
  3. O pão e os alimentos provenientes de cereais deviam fazer parte da alimentação diária (aqui se incluem as massas e o arroz principalmente os integrais)
  4. Os alimentos pouco processados, frescos e de época são os mais adequados
  5. Consumir diariamente produtos lácteos, em especial iogurtes e queijos
  6. A carne vermelha deve ser consumida com moderação e como complemento de outros pratos
  7. Consumir peixe abundantemente e ovos com moderação
  8. A fruta deve ser a sobremesa habitual. Doces devem ser consumidos ocasionalmente
  9. A água é a bebida por excelência do Mediterrâneo. O vinho deve ser consumido moderadamente e às refeições
  10. Realizar exercício físico é tão importante como comer adequadamente

Fonte: http://dietamediterranea.com

É altura de actualizarmos a imagem que temos da “Roda dos Alimentos” que aprendemos na escola e abraçar um património merecidamente reconhecido que diariamente zela pela nossa saúde. No próximo almoço com os amigos esta é uma distinção que pode ser acompanhada ao som do Fado, também ele reconhecido como Património Imaterial da Humanidade pela UNESCO em 2011.

Irina Rosa